Brasil Blogado » Saúde » Destroncamento do pé

Destroncamento do pé

Destroncar o pé é muito doloroso e neste artigo você irá saber o que realmente é um destroncamento, como acontece, o que fazer, foma de tratamento e recuperação. Tudo isso está expresso nesta interessante matéria.

     

O destrocamento de pé é temido pelos esportistas em geral e também bailarinos(a), pois trata-se de uma fratura cujo os meios de tratamento são por meio de fisioterapia ou cirurgia. Mas o pior  é a impossibilidade de mexer o membro novamente por um longo período.

Mas o que é um destroncamento?

O destrocamento ocorre quando os ossos em uma articulação ficam fora do local ou desalinhados. A ruptura é frequentemente causado por um impacto súbito onde os ligamentos ficam danificados como consequência desse deslocamento.

Tome cuidado ao fazer certos movimentos, pois pode acontecer do seu pé não aguentar o peso e acabar se movendo devido a força.

Destroncamento do pé está associado frequentemente a perda de equilíbrio.  (Foto:Divulgação)

Os sintomas dessa súbita ruptura são dor constante na região, febre em alguns casos, inchaço, vermelhidão e a incapacidade de movimentar o pé. Para realizar o diagnostico, é necessário ir ao pronto socorro e passar por uma avaliação médica, fazer exames de raio “X” para verificar o grau de gravidade.

Tratamento

O tratamento vai depender da parte onde o pé sofreu a ruptura. O médico pode com as próprias mãos voltar o osso ao local. Caso ele faça esse procedimento, que por sinal é doloroso, em seguida será receitado uma medicação para aliviar as dores no local e pedirá para que faça um acompanhamento fisioterápico.

Mas se por acaso, o médico analisar e constatar que a ruptura não vai se retroceder, ele pedirá para que o paciente se prepare para a cirurgia. Tal procedimento será realizado a reposição do osso.

> Dica: até que seja atendido pelo médico, mantenha o pé elevado, faça pequenas compressas e de maneira alguma faça movimentos e nem tente caminhar.  

Atenção, permanece com o pé imobilizado, até a liberação do médico, caso o contrário podertá sofrer sérias complicações.

É preciso imobilizar a região que sofreu ruptura para que o tratamento tenha eficacia. (Foto:Divulgação)

Você pode gostar desses:

Artigos relacionados:


Quer comentar ?