Brasil Blogado » Saúde » Qual o efeito da idade na memória

Qual o efeito da idade na memória

Você sabia que a memória pode começar a falhar a partir dos vinte anos de idade e as vezes até menos? Se não, leia este artigo e saiba porquê e como evitar os lapsos de memória.

     

Esquecer aonde deixou o celular, as chaves até que vai, mas deixar a panela no fogo, os filhos na  escola ou algum compromisso muito importante, ai não dá. E se o esquecimento está começando a prejudicar sua vida no dia-a-dia, pode suspeitar que sua memória está falhando, pode ser devido a idade ou não. O importante é se cuidar. Mas como fazer? Como proceder?

Idade ou Doença

Bom, é normal que a memória comece a falhar a partir dos 60 anos, pois ela já esta bem desgastada, mas caso não tenha ultrapassado a marca dos sessenta é importante se atentar, procurar um especialista para que possa tratar sobre tais lapsos que vem ocorrendo. E um dos fatores que desencadeia lapsos repentinos de memória, com certeza é o stress.

 A memória com o tempo vai se esvaindo aos poucos, iniciando a partir dos 20 anos de idade, fazendo com que o individuo começa a esquecer   números de telefone e outras coisas básicas. Dos 30 aos 40, o cérebro já não consegue recordar com tanta facilidade o que tem de fazer. Já na casa dos 50 anos de idade adiante é quando a pessoa passa a ter lapsos de memória cada vez maiores.

A memória do sere humano, pode falar por coisas bobas.

Quando? Como? Que horas? Era o que mesmo? Os lapsos de memória estão associados ao stress e também com o avançar da idade. (Foto:Reprodução)

 

Mas por que a memória de uma pessoa tão jovem começa a falhar? Bem, essa é uma questão fácil de ser resolvida. A memória jovem começa a falhar devido a diversos fatores ocorridos durante o dia como:

* A perda de sono.

* Deficit de atenção.

* Hiperatividade.

* Uso abusivo de bebidas alcoólicas ou outros tipos de drogas.

* Estresse, depressão e ansiedade.

* Fadiga e outros. 

E isso pode ser tratado com o tempo e foco. A pessoa tem que se tratar por meio da prática, ou seja, ela tem de fazer as coisas repetitiva, fazer com que algo lembre ela até que o cérebro volte a captar a memória.

E quando a perda de memória começa a passar do limite é preciso procurar um médico, pois pode ser que a pessoa esteja doente. E as doenças que mais acometem a essa falha são:

>   Mal de Alzheimer: é o tipo de demência mais frequente nestes casos. Ele é caracterizado pela perda progressiva das funções intelectuais, ou seja, o portador pode esquecer de tudo que aprendeu e voltar a um certo período. Pode também sofrer pequenos lapsos como a perda do  nome de alguém muito importante da família ou não lembrar o de caminho de casa.

> Amnésia: é a perda parcial ou total da capacidade de reter e evocar informações. Ela pode ser provocada por  distúrbios no funcionamento das células nervosas ou ainda pelos fatores psicológicos que inibem a recordação de certos fatos ou experiências vividas.

O que fazer, para melhorar a memória?

Aconselhamos, não só quando tiver lapsos, mas a que crie um habito saudável para exercitar o cérebro e deste modo ele não irá falhar. Veja o que pode fazer para que não tenha lapsos de memória.

* Controle a depressão e a ansiedade.

*  Evite o uso de álcool e drogas, eles inibem os comandos.

*  Ter uma boa noite de sono. O descanso é primordial para que o cérebro trabalhe melhor.

* Consumir mais carne branca, principalmente peixe ou outros alimentos que possuam ômega três.

* Pratique atividades físicas regularmente.

* Estimule a atividade cerebral com hobbies. Ler é essencial, fazer palavras cruzadas exercita a mente, jogar xadrez e outras atividades.

Não deixe com que pequenos hábitos, façam com que esqueça o que aprendeu a anos.

Treine sua memória. (Foto:Reprodução)

Você pode gostar desses:

Artigos relacionados:


Quer comentar ?