Brasil Blogado » Animais » Mau cheiro no ouvido do cachorro: doenças e tratamentos

Mau cheiro no ouvido do cachorro: doenças e tratamentos

Entenda neste artigo qual a doença que causa o mau cheiro no ouvido dos cães, saiba quais são as suas causas, sintomas e confira dicas de como realizar o tratamento e a prevenção dessa enfermidade.

     

O mau cheiro no ouvido dos cães corresponde a otite canina, doença que se dá com muita frequência em animais com orelhas longas e caídas, principalmente das raças Golden Retriver, Basset Hound, Cocker Spaniel, Pastor alemão, Labrador Retriever, Setter Irlandês e Dachshund.

Essa enfermidade é causada pela demasiada proliferação de bactérias, fungos e ácaros nas orelhas desses animais. Para constatar a otite, é necessário que o dono esteja atento ao comportamento do animal. Na maioria dos casos, o cheiro forte vem acompanhado de coceiras intensas e alterações no comportamento do cão.

Sintomas

Otite canina: causas, tipos, sintomas, tratamento e prevenção.

A doença ocorre com muita frequência em cães de orelhas longas e caídas. (Foto: Divulgação)

» Coceira intensa;
» Dor;
» Choro;
» Cheiro forte;
» Balançar a cabeça frequentemente;
» Excesso de cera;
» Vermelhidão, crostas e escurecimento da área afetada;
» Inchaço na orelha;
» Perda do apetite;
» Redução da audição;
» Sensibilidade;
» Agressividade quando a região é tocada;

Tipos

O tipo de alteração se dá de acordo com a região auricular dos cães que são afetadas, podendo a doença se dar de forma externa, média e interna, tendo como as suas principais motivações os:

» Infecções;
» Bactérias;
» Fungos;
» Acumulo de cera em excesso;
» Parasitas;
» Predisposição genética;
» Alergias;
» Tumores;
» Traumas;
» Presença de corpo estranho na região;
» Questões hormonais;

Tratamento

A contenção da otite e o seu tratamento será realizado de acordo com os fatores que estão provocando a doença, podendo se dar com a higienização profunda do ouvido e o uso de alguns medicamentos que irão diminuir os sintomas e eliminar seus causadores.

Observação: todo e qualquer procedimento deverá ser realizado com o acompanhamento veterinário para o bem do animal. Lembre-se que, o quanto antes esse transtorno for diagnosticado menos danos causará ao cão.

Prevenção

» Limpar a orelha do cão semanalmente;
» Fazer uma tosa mensal – principalmente dos locais que não ficam tão expostos;
» Manter as orelhas do animal sempre secas;
» Levar o cão ao veterinário, mesmo que não esteja apresentando nenhuma mudança no seu comportamento;

Você pode gostar desses:

Artigos relacionados:

  • Temos vários artigos como esse. Encontre eles usando o campo de busca.

Quer comentar ?