Brasil Blogado » Gravidez » Gravidez após o aborto

Gravidez após o aborto

Saiba através deste artigo como acontece o aborto, seja ele espontâneo ou forçado, e o que ele pode provocar na mulher. Fique por dentro do assunto e esclareça dúvidas sobre o mesmo. Acompanhe esta interessante matéria.

     

O aborto pode ser provocado por duas maneiras, sendo eles o espontâneo ou forçado. Este último é visto como uma verdadeira barbárie contra a vida. Mas seguindo com o nossa matéria, vamos saber um pouco sobre como acomete o aborto exponente. Acompanhe!

Aborto espontâneo

O aborto espontâneo é a perda involuntária do feto. Tal ato pode vir acometer até 20 semanas de gestação e após esse período é denominado  parto prematuro sem sucesso. Esse tipo de aborto se refere a eventos naturais, aqueles que não são decorrentes de procedimentos cirúrgicos ou com uso de medicamentos.

Outros termos para perda gestacional prematura são:

. Aborto completo:  é quando todos os materiais da concepção são expulsos do corpo.

. Aborto incompleto: acontece quando alguns materiais da concepção são expelidos do corpo.

. Aborto inevitável: que é quando os sintomas não podem ser interrompidos e o aborto tem que acontecer.

. Aborto infectado (séptico):  acontece quando a camada uterina e os demais materiais da concepção são infectados.

. Aborto retido: acomete quando a gestação é interrompida, mas os materiais da concepção não são expelidos do corpo.

Causas

A maioria dos abortos é provocado devido aos problemas cromossômicos que impossibilitam o desenvolvimento feto. E na maioria das vezes, tais problemas não estão relacionados aos genes dos progenitores. Mas outras causas  que podem provocar o aborto, são eles:

* Abuso de drogas e álcool.

* Exposição a toxinas ambientais. 

* Problemas hormonais.

* Infecção (não somente no útero, mas em órgãos próximo do mesmo). 

* Obesidade

* Imunidade da mulher- mãe. 

* Doenças graves.

* Fumo.

Pesquisas revelam que metade dos óvulos fertilizados acabam morrendo e sendo abortados de modo espontâneo, antes mesmo que a mulher  dê conta que está grávida.  Já no caso das mulheres que tem conhecimento da gestação, o índice de aborto varia entre 15 à 20%. E que na maioria das vezes eles costumam acontecer na sétima semana gestacional.

Atenção: o risco de aborto espontâneo é mais elevado no caso de mulheres mais velhas e que já sofreram com aborto antes.

Sintomas do Aborto

Normalmente o aborto pode ser confundido com outras doenças e os incômodos apresentados plea maioria das gestantes são:

* Dor leve, que pode  provocar cólicas no abdômen ou na parte inferior das costas.

* Tecido ou material similar a coágulos que saem da vagina.

* Sangramento vaginal com ou sem cólicas abdominais.

Caso tenha sofrido um aborto, procure auxílio médico e inicie seu tratamento.

O aborto pode acontecer por diversos motivos.
(Foto:Divulgação)
Fonte: http://hipergravida.blogspot.com.br/2011/07/aborto-espontaneo.html

Diagnóstico

 Identificado os sintomas o médico, que está acompanhando o caso, pedirá os seguintes exames:

* Exame de sangue.  

* Hemograma completo para determinar a perda de sangue.

* HCG (qualitativo) para confirmar a gravidez.

* HCG (quantitativo) realizado periodicamente.

* Contagem diferencial de glóbulos brancos para descartar infecções.

Tratamento

Quando o aborto acontece, o corpo tende a expelir o tecido gestacional pela vagina.  O mesmo deve ser examinado para determinar se é de uma placenta normal ou uma mola hidatiforme. Além disso, o médico deverá verificar se há qualquer tipo de material fetal no útero. Caso haja,  é necessário que a mulher permaneça em estado de observação por duas semanas para que o corpo expulse normalmente o que ainda há no útero.

E se por acaso o tecido não for expelido dentro do prazo estabelecido, o médico dará as opções cirúrgicas do tipo D e C ou a medicação (misoprostol) para remover o material gestacional no útero. Após o tratamento pós aborto, o ciclo menstrual da mulher costuma recomeçar depois de quatro à seis semanas. Além disso, qualquer outro sangramento vaginal deve ser cuidadosamente monitorado para que ela não sofra com as consequências depois.

Complicações

Pode haver complicação no caso do aborto ter sido de gênero infectado, pois poderá ocorrer sintomas como: febre, sangramento vaginal direto, cólicas e secreção vaginal com um odor forte. Quando isso acontece é necessário que haja o atendimento de imediato para dar inicio   ao tratamento.

Após o aborto a mulher entrar em depressão e quando isso acontece é necessário que ela tenha acompanhamento psicológico e procure manter o pensamento positivo para que o tratamento seja mais fácil.

Você pode gostar desses:

Artigos relacionados:


Quer comentar ?